Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Mark Lanegan

O disco que salvou a vida de Mark Lanegan

Literalmente, o disco da vida de Mark Lanegan

Mark Lanegan esteve à conversa com o website Music Radar, onde falou sobre os discos que mudaram a sua vida.

O músico apontou "Closer", dos Joy Division, como um álbum particularmente importante para si, ao ponto de dizer que este lhe salvou a vida.

"No inverno de 1980-81, eu estava com uma depressão muito séria. O meu trabalho consistia em cortar as raízes expostas das árvores de um pomar de macieiras, e tinha de conduzir 80km a ir e vir todos os dias", contou.

"Tinha deixado a bebida e as drogas, a minha namorada abandonou-me pelo patrão dela numa pizzaria e grande parte do meu dia era passada a ir e a vir do trabalho, a fumar e a chatear-me".

"A dada altura", acrescentou, "encontrei uma cassete do 'Closer', meti-a no rádio do carro e ficou imediatamente lá presa. Sem a conseguir tirar, passei o inverno inteiro a ouvi-la".

"Aqueles tons gelados, e aquelas letras poeticamente pessoais, sobre dor e alienação, pareciam ser um espelho da minha própria história", explicou.

"Senti que havia alguém que se sentia como eu. A voz do Iam Curtis, as linhas de baixo do Peter Hook e a guitarra do Bernard Sumner tornaram-se na banda-sonora da minha vida".

"Se há algum disco que me tenha salvo, é esse. Ainda hoje é um dos melhores álbuns de sempre e ouço-o regularmente", rematou.