Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

José Mário Branco

Rita Carmo

Marcelo admite condecorar postumamente José Mário Branco se a família do músico concordar. “Tentei em vida, mas ele foi sempre reticente”

“A minha geração recorda de forma muito viva José Mário Branco”, afirma o Presidente da República

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, admitiu condecorar o músico José Mário Branco, a título póstumo.

Em declarações à TSF, Marcelo Rebelo de Sousa sublinhou que essa decisão ficará a cargo da família de José Mário Branco, falecido esta terça-feira aos 77 anos. “Eu tentei [condecorá-lo] em vida, mas ele foi sempre muito reticente. Foi sempre muito avesso a condecorações, a reconhecimentos públicos. Ele manifestou sempre, de forma muito bem-educada e discreta, que o que lhe importava era deixar um testemunho e fazer passar a palavra. O reconhecimento formal era menos importante”, afirmou.

Contudo, ressalva, “se aqueles que lhe são próximos entenderem que não traem a sua memória aceitando esse reconhecimento público, então, obviamente, o que não foi possível fazer em vida será feito postumamente”. Se tal não for a intenção da família do músico, “respeitar-se-á a sua vontade". “Ele era como era e é assim que devemos admirá-lo”, acrescentou.

“A minha geração recorda de forma muito viva José Mário Branco”, enalteceu Marcelo Rebelo De Sousa. “Era cantado por pessoas de vários quadrantes [políticos]. O meu quadrante, na altura, como hoje, não era exatamente o quadrante de José Mário Branco, mas aquilo que marcava a sua música era um desejo de mudança profundo, sincero”, concluiu o Presidente da República.