Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

José Mário Branco

Rita Carmo

“Em estado de choque”, Adolfo Luxúria Canibal lamenta perda do “amigo” José Mário Branco

O vocalista dos Mão Morta havia escrito a canção 'Loucura' com José Mário Branco, que hoje faleceu aos 77 anos

Adolfo Luxúria Canibal, dos Mão Morta, lamentou hoje a morte do “amigo” José Mário Branco, “alguém de quem gostava muito”.

Estou em estado de choque. É um amigo que se perde”, disse, emocionado, Adolfo Luxúria Canibal.

O vocalista de Mão Morta e poeta referiu ainda o valor e a importância de José Mário Branco para a música e cultura portuguesas.

Adolfo Luxúria Canibal e José Mário Branco escreveram em conjunto a canção intitulada 'Loucura', que foi recentemente recuperada para um disco de tributo lançado este ano.

Nascido no Porto, em maio de 1942, José Mário Branco é considerado um dos mais importantes autores e renovadores da música portuguesa, em particular no período da Revolução de Abril de 1974, cujo trabalho se estende também ao cinema, ao teatro e à ação cultural.

Foi fundador do Grupo de Ação Cultural (GAC), fez parte da companhia de teatro A Comuna, fundou o Teatro do Mundo, a União Portuguesa de Artistas e Variedades e colaborou na produção musical para outros artistas, nomeadamente Camané, Amélia Muge, Samuel e Nathalie.

Em 2018, José Mário Branco cumpriu meio século de carreira, tendo editado um duplo álbum com inéditos e raridades, gravados entre 1967 e 1999. A edição sucede à reedição, no ano anterior, de sete álbuns de originais e um ao vivo, de um período que vai de 1971 e 2004.

No ano passado, aquando da homenagem que lhe foi prestada no âmbito da Feira do Livro do Porto, José Mário Branco afirmou: "O que a gente faz é uma gota no oceano do grande caminho da Humanidade".