Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Ornatos Violeta fotografado no seu estúdio, no Porto, em outubro de 2019

Fernando Veludo/nFactos

Os Ornatos Violeta vão continuar depois dos concertos deste ano? A resposta de Manel Cruz e companheiros

Encontram-se a celebrar os vinte anos do lançamento do álbum “O Monstro Precisa de Amigos”, com dois concertos no Porto agendados para esta semana. A pergunta não poderia ser mais direta: e depois, continuará a haver Ornatos?

Dão dois concertos esta semana na Super Bock Arena - Pavilhão Rosa Mota (quinta e sexta, 31 de outubro e 1 de novembro, respetivamente), celebrando no Porto os 20 anos do seu segundo e último álbum, “O Monstro Precisa de Amigos”. Entrevistados pela BLITZ nas vésperas dos mesmos, os Ornatos Violeta não contornam a pergunta: "haverá Ornatos depois desta reunião", que termina no Campo Pequeno, em Lisboa, a 6 de dezembro? “Se nós os cinco tivermos muita vontade de fazer música juntos, não é importante que seja através dos Ornatos Violeta ou não. Também pode ser, porque afastar essa ideia é criar um dogma, mas gosto de não ter de pensar nisso”, explica Manel Cruz, que este ano apresentou uma “Vida Nova” a solo.

“Quero garantir essa liberdade criativa. Percebo o fascínio das pessoas pela banda e sou sensível a todo o afeto que nos dão, até vejo isso de forma muito romântica, mas não quero alimentar fetiches”, acrescenta o vocalista. “O importante é que seja algo nosso”, sintetiza o baterista Kinorm. Já o guitarrista Peixe considera que “criar em conjunto é algo bastante delicado, que implica outro estado de espírito”, concluindo que os “Ornatos para serem Ornatos teriam de ter uma sintonização que talvez só tenha sido possível naquela época”.

Recorde-se que a 22 de novembro os Ornatos Violeta celebrarão o 20º aniversário do álbum "O Monstro Precisa de Amigos" com a edição de uma caixa especial. Esta nova edição de “O Monstro Precisa de Amigos” foi, comunica a editora Universal, "alvo de um cuidado trabalho de design, em parceria com os elementos da banda (...), transportando a experiência de ouvir os Ornatos Violeta para o século XXI".