Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

Capicua

Capicua está de regresso: o novo single, 'Madrepérola', o vídeo “feminista e divertido” e a primeira data ao vivo estão aqui

“Ninas como Nina Simone ou Simone de Beauvoir”, rappa Capicua no seu novo single. O álbum, “de superação e renascimento”, sai em 2020

Lia Pereira

Lia Pereira

Jornalista

Capicua lançou hoje 'Madrepérola', o primeiro single do seu álbum do mesmo nome, que sairá no próximo ano, pela editora Universal.

Apresentada como “uma canção sobre mulheres fortes e inspiradoras”, 'Madrepérola' conta com colaboração da rapper brasileira Karol Conka, beat do português DJ Ride e produção de D-One.

Quanto ao vídeo, foi realizado por Clara Não e André Tentugal. Veja aqui:

Em comunicado de imprensa, Capicua apresenta o seu novo trabalho: “É uma música cheia de poder, atitude e estrogénio, e é o primeiro single do álbum porque representa bem o seu espírito solar, positivo e dançável. Tem um videoclipe-colagem, que remete para o universo das fanzines Riot Grrrl, para as capas de cadernos das adolescentes, cheio de iconografia feminista, muito divertido e irónico, que consolida a velha relação entre a minha música e a ilustração e que vale muito a pena ver”.

Capicua em 2019

Capicua em 2019

Primeiro álbum de Capicua desde o nascimento do primeiro filho, “Madrepérola” reflete, também, essa nova fase da sua vida: “O disco chama-se ‘Madrepérola’ numa clara alusão à maternidade, já que foi gravado durante e depois de uma gravidez e foi ele próprio um processo de longa gestação. Como um parto, é um disco de superação e renascimento. ‘Ostra feliz não faz pérola’ é a frase (de Rubem Alves, autor e pensador brasileiro) que serve de abertura ao disco e ao seu primeiro single homónimo, precisamente porque as ostras só fazem pérola quando têm um grão de areia a incomodá-las. Vão cobrindo o grão de areia com uma baba e acabam por fazer uma pérola, numa metáfora perfeita para isto da gestão dos incómodos da vida e sua sublimação em arte e amor. A música e a maternidade têm tanto de beleza e abnegação, como de desconforto e superação. Não é por acaso que a ideia de ‘criação’ serve para a arte e para os filhos e este disco fala de tudo isso”.

O álbum “Madrepérola”, primeiro de Capicua pela Universal, será apresentado em Lisboa, no Teatro da Trindade, no âmbito do ciclo Mundos, a 17 de dezembro.