Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Roberta Medina

Rita Carmo

Roberta Medina fala sobre o Rock in Rio-Lisboa: “Se a imprensa elogiou, é mau sinal. Não vendemos bilhetes e será o dia mais fraco”

A preparar a edição do próximo ano, Roberta Medina deseja que “a conversa seja muito mais sobre a magia da experiência do que sobre o concerto a ou b”

Roberta Medina esteve à conversa com a BLITZ no Rock in Rio Brasil e depois de revelar que não tem muita pressa para anunciar os primeiros nomes da edição de 2020 do Rock in Rio-Lisboa disse: "nós brincamos, mas é a verdade. Se fizermos um cartaz que deixa a imprensa feliz, não vendemos bilhetes. É muito interessante. Já testámos isso muitas vezes. A imprensa está feliz? É o dia mais fraco. É uma tristeza. Ficamos sempre à espera para ver se a imprensa elogia ou não, porque se elogiar é mau sinal".

A vice-presidente do festival, que nasceu no Rio de Janeiro há quase 35 anos, explicou também que está muito interessada em "resgatar a conversa do parque de diversões, de passar um bom dia. A conversa, em Portugal, está demasiado concentrada no talento e na picuinhice dos vizinhos. É muito chata, essa conversa. Estou mais interessada em falar com o público". Medina acrescenta ainda que se tem um desejo para a edição de Lisboa é que "a conversa seja muito mais sobre a magia da experiência do que sobre o concerto a ou b. Quero que haja engajamento, que consigamos fazer com que os artistas possam estar mais próximos".

Recorde-se que o Rock in Rio-Lisboa regressa ao Parque da Bela Vista nos dias 20, 21, 27 e 28 de junho do próximo ano. Segundo declarações de Medina à BLITZ, os preços dos bilhetes diários vão manter-se nos €69,00 apesar de no Brasil custarem perto do dobro. A apresentação das primeiras novidades do festival está marcada para a próxima terça-feira, devendo ser anunciada a nova Rock Street, dedicada à Ásia, que estreou na edição deste ano do Rock in Rio Brasil.