Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

MANUEL FERNANDO ARAUJO

Nick Cave responde a fã com capa de livro em português

A epístola do dia versa sobre remorsos

Lia Pereira

Lia Pereira

Jornalista

Nick Cave respondeu a mais dois fãs, na série de “epístolas” que vem publicando no seu site.

Desta feita, o australiano, que no final desta semana lança um novo disco, “Ghosteen”, ilustrou a sua prosa com a capa do livro “The Long Goodbye”, de Raymond Chandler, na edição em português da 'Colecção Vampiro' da editora Livros do Brasil: “O Imenso Adeus”.

Ao fã que lhe perguntou se tem arrependimentos, Nick Cave escreveu que talvez seja proveitoso vermos a nossa vida “como uma série de sonhos falhados ou abandonados, ao mesmo tempo que reconhecemos que estes sonhos são a arquitetura da nossa humanidade; [devemos] aceitar as nossas falhas, sabendo que o crescimento e o arrependimento andam sempre de mão dada, tal como o falhanço e o potencial”.

“Muitos dos meus arrependimentos têm a ver com a incapacidade que, no passado, tive em dizer adeus”, completa. “Durante muitos anos, a forma que eu tinha de lidar com as coisas era fugir sem olhar para trás. Estava sempre a fugir de alguma coisa ou de alguém ou de algum sítio, de uma situação desastrosa ou dos meus vários vícios ou de relações falhadas”, admite.

Sentia que, se parasse, seria comido vivo pelo caos que me perseguia como um cão vadio. Levei muitos anos a ter coragem para olhar para trás e olhar para o monstro imaginário do meu passado. Quando finalmente olhei, descobri muitas feridas antigas e pestilentas que um adeus atempado e sentido teria curado”.

“Com o tempo, percebi que ter uma oportunidade de dizer adeus é o derradeiro privilégio”, acredita Nick Cave.

Leia a sua resposta completa aqui