Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

Vitorino

“Não sei do que é que se trata, mas não concordo”. O documentário sobre a vida e obra de Vitorino

Nascido há 77 anos no Redondo e com 45 anos de carreira discográfica, Vitorino vê agora chegar um documentário sobre o seu percurso

Com realização de Jorge Paixão da Costa, "Não sei do que se trata, mas não concordo" conta a história de Vitorino, nascido em 1942 na vila alentejana do Redondo, "de onde saiu para se tornar um músico do mundo".

As antestreias do documentário, com a presença de Vitorino, do produtor e do realizador têm lugar a 11 de setembro às 19h no Auditório da Biblioteca Municipal Orlando Ribeiro, Telheiras, Lisboa, e no dia 14 de setembro às 19h no Centro Cultural de Redondo, Alentejo, com atuação do Grupo de Cantadores do Redondo, que também participa no filme. O documentário será posteriormente exibido na RTP.

Com uma carreira de mais de 40 anos, Vitorno Salomé "trouxe-nos boleros, tangos e chorinhos para cantar histórias de pessoas e emoções", pode ler-se na apresentação do filme. "Figura de uma cultura popular genuína (...), conta-nos histórias da sua infância e juventude, canta pelas ruas do Redondo com o seu grupo de cante alentejano, e leva-nos ao Brasil, a Cuba e a Buenos Aires".

Da sua discografia destacam-se importantes discos da música portuguesa pós-25 de Abril como "Semear Salsa ao Reguinho" (o álbum de estreia, de 1975), "Flor de La Mar" (1983), "Leitaria Garrett" (1984) ou "Eu Que Me Comovo Por Tudo e Por Nada" (1992). Vitorino integrou ainda os projetos Lua Extravagante, Rio Grande e Três Cantos.

Fotogramas do documentário

Fotogramas do documentário