Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

Casa Branca responde a Taylor Swift

Meio milhão de assinaturas e um discurso de Taylor Swift nos MTV VMA motivaram resposta do governo de Trump

Ao aceitar um de três prémios que conquistou na cerimónia deste ano dos MTV Video Music Awards, que se realizou no passado domingo, Taylor Swift mostrou o seu apoio ao Equality Act, nova lei atualmente em discussão no Senado norte-americano que tornaria ilegal discriminar um indivíduo com base na sua orientação sexual ou género.

A cantora deu mesmo início a uma petição com vista à aprovação desta lei, que já conta com mais de meio milhão de assinaturas - cinco vezes mais que as que são necessárias para que a Casa Branca se veja obrigada a responder.

A resposta do governo norte-americano chegou esta terça-feira, com a administração Trump a garantir a sua oposição "a toda e qualquer forma de discriminação", através da assessora de imprensa Judd Deere.

"No entanto, e no seu estado atual, esta lei está cheia de detalhes venenosos que ameaçam os direitos parentais e de consciência", explicou Deere.

As explicações da Casa Branca para este impasse foram semelhantes às que foram dadas em maio, quando a lei foi aprovada pela Câmara dos Representantes. No mês seguinte, Taylor Swift criou a petição, acoplada a um dos seus últimos singles, 'You Need to Calm Down'.