Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

Bruce Springsteen - Rock in Rio Lisboa 2016

Rita Carmo

Live Nation prepara-se para comprar o Rock in Rio

A gigante da indústria de entretenimento já tinha uma participação no festival, mas deverá agora tornar-se dona de 60% do mesmo

A Live Nation, unanimemente considerada a maior empresa de espetáculos do mundo, prepara-se para se tornar sócia maioritária do Rock In Rio. A participação do gigante do entretenimento passará a ser, tudo o indica, de 60%, ultrapassando a dimensão da fatia pertencente a Roberto Medina, fundador do festival.

Em maio de 2018, a Live Nation adquiriu a parte da SFX, do brasileiro Robert Sillerman, empresa que se encontrava em insolvência. O propósito era, desde então, tornar-se sócio maioritário em 2019.

Agora, a Live Nation deverá ficar agora com os 20% pertencentes ao promotor brasileiro (com sede em Abu Dhabi) IMM, ligado ao entretenimento e ao desporto. A operação de compra estará agora sujeita a aprovação do regulador.

Ao site da revista IQ, a Live Nation não comenta os valores da operação, mas um relatório do Global Legal Chronicle atribui a este negócio um valor de 20 milhões de dólares. Roberto Medina vai manter 40% da Rock City, empresa que detém os festivais brasileiro e português, e continuará a gerir os eventos.

"A organização do Rock in Rio informa que a Live Nation é sua sócia desde maio de 2018 e, agora, amplia sua participação com a aquisição da parte que cabia a IMM. Entretanto, isso não muda em nada a estrutura de governança do festival e Roberto Medina continua à frente do Rock in Rio", diz nota divulgada pela assessoria do festival. A próxima edição do evento é no Rio de Janeiro, realizando-se nos dias nos dias 27, 28 e 29 de setembro e 3, 4, 5 e 6 de outubro. Drake, Red Hot Chili Peppers, Pink, Muse, Foo Fighters e Iron Maiden são alguns dos nomes mais sonantes em cartaz.

Além dos maiores artistas, de quem gere a agenda de concertos, como U2, Madonna, Ed Sheeran ou Rihanna, a Live Nation é proprietária de inúmeras salas de espectáculos espalhadas por todo o mundo, da maior empresa de bilhética, a Ticketmaster, e também tem participações em vários festivais (Lollapalooza, Bonnaroo, Austin City Limits, nos Estados Unidos; e Leeds e Reading, em Inglaterra).