Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Eddie Vedder em Lisboa

Rita Carmo

8 momentos inesquecíveis do concerto de Eddie Vedder em Lisboa

Entre dedicatórias a amigos, um discurso em português e interpretações memoráveis, a 11ª visita de Eddie Vedder a Portugal ficou marcada pela emoção. Recordamos os momentos-chave do concerto de quinta-feira

Lia Pereira

Lia Pereira

Jornalista

- Entre a segunda e a terceira canção do concerto, ou seja, entre 'Just Breathe' e 'Elderly Woman...', Eddie Vedder dirigiu-se ao público em português. Socorrendo-se das habituais cábulas, lembrou que esta foi a sua 11ª visita a Portugal e que, apesar de ainda falar “muito mal português”, estava feliz por estar de regresso ao nosso país. Veja aqui o seu discurso.

- Antes do concerto de Eddie Vedder, surgiu no ecrã gigante um aviso no qual se pedia que os espectadores não usassem os telemóveis para filmar ou tirar fotos do palco. “As distrações causadas pelo uso permanente destes aparelhos tornam-se frustrantes para todos. Por favor, apreciem a atuação em tempo real e deixem de lado os vossos aparelhos", podia ler-se. Naturalmente, nem todos obedeceram ao pedido, mas pareceu-nos que, durante o concerto, foi menor do que habitual o mar de telemóveis no ar.

- Antes da versão de 'Imagine', Eddie Vedder deu “permissão” aos fãs para que usassem os telemóveis, acompanhando a canção de John Lennon com a luz dos aparelhos. “É giro para mandar para casa”, disse. Naturalmente, houve fãs que usaram mais do que a luz...

- Falando da sua família (“Não posso, sou casado e muito feliz”, disse a certa altura, respondendo a uma proposta vinda do público), Eddie Vedder chegou mesmo a destacar a família dos músicos que o acompanhavam no Red Limo String Quartet: uma das violinistas está grávida, revelou, e o filho do homem da viola fazia na quinta-feira dez anos. “É tão bonito como o pai”, elogiou.

- “Lisboa é uma noite de duas garrafas, tragam mais uma!”, decidiu a certa altura Eddie Vedder, que partilhou o seu vinho com os músicos, com o amigo Glen Hansard (que fez a primeira parte do concerto e o acompanhou em vários temas) mas também com alguns espectadores, como a fã Lara, que se sentava na fila da frente. “Agora vou para o lado esquerdo, também, para não me acusarem de privilegiar o outro lado, só por ter aqueles cartazes com mensagens bonitas”, brincou.

- “Your music has saved my sanity”, escreveu uma fã num cartaz. “Também salvou a minha”, comentou Eddie Vedder. “Noutras alturas, a nossa música também me ia custando a sanidade. Mas a culpa não é vossa, só serviu para trazer ao de cima alguns problemas que eu tinha de tratar", partilhou, sempre risonho. "Beber não foi um deles, mas vou sempre a tempo!”.

- Uma menina no público teve direito a uma prenda de aniversário - a harmónica que Eddie Vedder acabara de tocar - e a que todos na Altice Arena lhe cantassem os parabéns.

- Num concerto onde os pontos altos se sucederam, os coros em 'Black' (com Glen Hansard na guitarra) e 'Better Man' foram, talvez, alguns dos momentos mais arrepiantes, com o público em perfeita sintonia com Eddie Vedder, cantando a plenos pulmões.

Leia aqui a reportagem do concerto de Eddie Vedder na Altice Arena, em Lisboa.