Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Vocalista dos Disturbed critica Roger Waters e os seus “camaradas nazis: não os vejo a boicotar a Rússia”

O frontman da banda norte-americana defendeu a sua decisão de dar um concerto em Israel

Lia Pereira

Lia Pereira

Jornalista

David Draiman, vocalista dos Disturbed, criticou Roger Waters, depois de o músico britânico ter pedido que a sua banda não se apresentasse ao vivo em Israel.

Sou um grande defensor de Israel e do seu povo”, afirmou David Draiman num vídeo publicado no Facebook.

“E seja Israel ou outro país qualquer, boicotar toda uma sociedade com base nas ações do seu governo é completamente ridículo. E não adianta nada. Não vejo ninguém a boicotar a Rússia. Não vejo boicotes a países que têm dos regimes mais opressivos do planeta, onde as pessoas LGBTQ , bem como todo o tipo de minorias, são perseguidas. Não vejo as pessoas a boicotar a China, pelo que fazem à população muçulmana. Só Israel é que recebe este tratamento e penso que todos sabemos porquê”.

“O facto de Roger Waters e os seus camaradas nazis terem decidido que esta é a forma certa de provocar uma mudança é de uma estupidez e de uma loucura completas. Não faz qualquer sentido”, argumenta David Draiman, que é judeu. “Baseia-se apenas no ódio por uma cultura e por um povo e por uma sociedade que são diabolizados injustificadamente desde o começo dos tempos. Querem juntar as pessoas? Querem provocar mudança social a sério? Juntem-nas para um concerto”.

Recentemente, Roger Waters pediu a Madonna que não se apresentasse ao vivo no Festival da Canção, que se realizou em Israel.