Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

Isaac Kappy (à esquerda, na foto)

Getty Images

Morreu o ator Isaac Kappy, depois de cair de uma ponte

"Não tenho sido boa pessoa"

Morreu o ator Isaac Kappy, conhecido pela sua participação em filmes como "O Exterminador Implacável: A Salvação" ou "Thor" e em séries como "Breaking Bad". Tinha 42 anos.

Na passada segunda-feira, o ator saltou da ponte Transwestern, em Bellmont, no estado norte-americano do Arizona, sendo depois atingido por um carro após a queda. Foi acudido por dois jovens que circulavam de carro nessa zona, mas sem sucesso, relata o jornal Arizona Daily Sun.

Antes da sua morte, Kappy publicou uma longa mensagem no Instagram, onde reconhece não ter sido "uma boa pessoa". "Usei pessoas por dinheiro, traí muita gente e muitas confianças, vendi drogas, não paguei impostos, tenho dívidas, abusei do meu corpo com cigarros e álcool e fui abusivo para com pessoas que me amavam, incluindo a minha família", continuou. Presume-se que a sua intenção seria suicidar-se.

"Esta semana, cometi um ato tão petulante, sem pensar, que se tornará sinónimo de imprudência e de ganância vil e mesquinha", pode ainda ler-se. "No fim de contas, isso custou-me tudo o que eu tinha".

O ator foi notícia em 2018 por alegadamente alegadamente apertado o pescoço a Paris Jackson, filha de Michael Jackson, durante uma festa. Já nos últimos anos, o nome de Kappy começou a circular pela internet e pelas redes sociais como tendo ligações ao movimento alt-right.

Em diversos vídeos e publicações, o ator mostrou o seu apoio a uma das mais badaladas teorias da conspiração de extrema-direita, conhecida como QAnon, segundo a qual várias celebridades e políticos são acusados de traficarem e abusarem sexualmente de crianças. O próprio Kappy acusou, em agosto do ano passado, o ator e comediante Seth Green e o realizador Steven Spielberg de terem abusado dele.

"Supostamente quis tornar a América grande outra vez", escreveu, em referência ao slogan utilizado por Donald Trump na sua campanha presidencial. "Mas não me esforcei muito para me tornar grande outra vez", completa.

Instagram