Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

Conan Osiris

Andres Putting/Eurovision.tv

As montanhas que Conan Osiris terá de ultrapassar na Eurovisão

Dia D para Portugal em Israel: primeira semifinal é esta terça-feira às 20h00 e há duas canções que podem complicar ou resolver a bem a vida de Conan Osiris. E há uma possível boa notícia no televoto

Realiza-se hoje a primeira semifinal do festival da Eurovisão, em Telavive, Israel, a partir das 20h00 (hora de Portugal continental). Conan Osiris, com 'Telemóveis', representa Portugal nesta eliminatória, sendo o 15º concorrente a subir ao palco da Expo Tel Aviv.

Apesar de não estar há algumas semanas entre os candidatos a passar à final de acordo com os palpites das principais casas de apostas, a distância que separa 'Telemóveis' da final ambicionada não é, a acreditar nestes indicadores, um desafio impossível de vencer.

Olhando para o ranking organizado pelo site Eurovision World, que contabiliza os palpites de 13 casas de apostas online, há nove países com qualificação provável: Grécia, Austrália, Chipre, Islândia, Sérvia, Hungria, República Checa, Eslovénia, e Bélgica. Esta última, 9ª classificada, tem uma probabilidade de eliminação de 36%.

Uma vaga no top 10 de apurados desta primeira semifinal ficará em aberto para ser disputada pelos três países seguintes no ranking (os países do '50-50'): Estónia (10º), Polónia (11º) e Portugal (12º). Os três têm probabilidades de eliminação relativamente próximas, entre os 46 e os 58%, sendo de Portugal a tarefa mais difícil, uma vez que - novamente, baseando-nos nesta métrica - tem duas 'montanhas' para ultrapassar.

Para tal, Conan Osiris terá de ter reunido boa aprovação dos júris nacionais (que votaram ontem) e do televoto dos restantes 16 países, acrescidos de Israel, Espanha e França (o país organizador e outros dois membros dos 'Big 5', países com entrada garantida na final). Cada votação (júri e televoto) vale 50% no resultado final que decide quem vai à final e quem fica pelo caminho. A cumplicidade geográfica com Espanha (que já conheceu melhores dias na Eurovisão) e o (tele)voto da diáspora (em Espanha, mas sobretudo em França) são fatores que podem ajudar Portugal a ultrapassar o aparente défice de confiança.

Estas são, aparentemente, as duas canções a bater: