Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

Julian Casablancas

Getty Images

Julian Casablancas, dos Strokes, ataca Spotify e grandes editoras: “Estão todos a roubar-nos”

Músico norte-americano diz que não usa serviços de streaming

Julian Casablancas, dos Strokes e The Voidz, atacou fortemente os serviços de streaming, em particular o Spotify, e as editoras numa entrevista à revista Billboard. O músico norte-americano começa por dizer: "não uso o Spotify. O que penso sobre todos esses serviços de streaming... não gosto deles. São a nova MTV, os novos decisores, portanto as editoras fazem negócio com eles para basicamente nos roubarem a todos".

As declarações proporcionaram-se quando Casablancas foi questionado sobre a Cult Records, editora independente que fundou em 2009. "As grandes editoras não te dão dinheiro para fazeres coisas interessantes e que valham a pena", defende, "foi em parte por isso que fundei a Cult. Mas o problema é que não tens os recursos e dinheiro que uma grande editora tem. Estás muito limitado. Chamo-lhe, a brincar, 'Projeto de Financiamento para as Artes'. Não consegues competir com a mão-de-obra capitalista de uma grande editora".

"Não penso que as editoras tenham uma identidade muito clara, neste momento", continua, "eu não estou ali na linha da frente a tentar perceber como explorar e fazer dinheiro. Estou mais interessado em fazer coisas parecidas às que os Grateful Dead fizeram: ir de cidade em cidade, ficar amigo de estações de rádio fixes, tocar nas salas de espetáculos fixes, criar relações com os promotores fixes". E a terminar, acrescenta ainda: "tentar sugar o doce do Spotify é uma perda de tempo para mim".