Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Getty Images

Michael Jackson tinha medo do sexo com mulheres e fugiu de Madonna

Relatos de quem o conheceu na intimidade

Michael Jackson "tinha um medo de morte" de ter relações sexuais com mulheres, e estava "traumatizado" pelos seus encontros com prostitutas quando era adolescente.

Quem o diz é Randall Sullivan, no livro "Untouchable: The Strange Life and Tragic Death of Michael Jackson", publicado em 2012.

Segundo o autor, Michael Jackson foi alvo de "uma intervenção" quando tinha 15 anos. Nessa altura, os seus familiares fecharam-no num quarto com duas prostitutas, dizendo-lhe para "dizer adeus à virgindade".

O "Rei da Pop" terá, no entanto, evitado esse encontro pegando numa Bíblia e lendo passagens da mesma. Segundo Rebbie Jackson, sua irmã, essa situação "traumatizou-o".

Uma outra prostituta, Lillias Harris, encontrou-se mais tarde com Jackson, de acordo com o biógrafo deste, J. Randy Taraborrelli.

O músico ter-lhe-á perguntado porque trabalhava como prostituta, e terá sentido "repulsa" quando esta se despiu. "Perguntou-me se [em vez de ter sexo] não poderíamos só falar sobre a minha vida", contou Harris.

Já em 1991, a "Rainha da Pop" terá tentado ter um encontro sexual com o seu "Rei", sem sucesso.

Segundo Mark Lester, amigo de infância de Michael Jackson, Madonna acompanhou-o à cerimónia de 1991 dos Óscares da Academia, chamando-o depois ao seu quarto - onde estava nua.

"Ele olhou para ela, gritou e saiu a correr", afirmou Lester. "Não é algo que eu teria feito".