Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

Michael Jackson e Macaulay Culkin

Getty Images

Michael Jackson tinha mesmo um alarme à entrada do quarto, garantiu Macaulay Culkin

Testemunho do ator em tribunal confirmou as afirmações das alegadas vítimas de Jackson no documentário “Leaving Neverland”

Macaulay Culkin foi uma testemunha essencial na absolvição de Michael Jackson, em 2005, quando o rei da pop foi a tribunal responder às acusações de abuso sexual, mas as revelações do ator confirmam algumas das afirmações que Wade Robson e James Safechuck fazem agora no documentário "Leaving Neverland", ao alegarem que foram abusados sexualmente por Jackson. À época, Culkin, que assumiu ter dormido na cama com Jackson uma dezena de vezes, explicou que o cantor tinha um sistema de alarme para saber sempre que alguém se aproximava do quarto dele.

"Havia uma coisa no corredor que fazia 'ding-dong, ding-dong' se alguém se aproximasse da porta", testemunhou o ator, "quando alguém estava próximo do quarto, ouvíamos um alarme suave". Safechuck também se refere a esse sistema de alarme em "Leaving Neverland", alegando ainda que o rancho de Neverland, onde Jackson vivia e onde terão ocorrido os alegados abusos sexuais, tinha uma série de quartos escondidos e havia sempre uma forma de saber quando alguém se aproximava.

Outra revelação feita por Culkin, em 2005, prende-se com o facto de só ter dormido na cama de Jackson até completar 14 anos, algo que vai de encontro ao que Safechuck e Robson revelam no filme: que o cantor perdeu interesse sexual neles quando completaram 14 anos. "Quando comecei a voltar [ao rancho, com essa idade], passei a não dormir na cama. Acabava por adormecer num dos quartos para convidados... porque já estava mais cioso da minha privacidade", disse o ator no julgamento.