Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

Michael Jackson em 1991

Getty Images

Antigo colaborador de Michael Jackson afirma que cantor era “um predador” e odiava o seu pai

“Se a lenda do Michael Jackson for destruída por isto, a única pessoa responsável é ele”

Lia Pereira

Lia Pereira

Jornalista

Rudi Dolezal, realizador e produtor austríaco que trabalhou com Michael Jackson, afirmou ao Page Six que o cantor era um predador sexual.

Sobre o documentário “Leaving Neverland”, Dolezal diz: “Acredito em quase tudo. É um trabalho brilhante. Ninguém podia parar o Michael. É difícil acreditar que um ícone seja um impostor”.

O realizador, que conheceu Michael Jackson quando filmou a digressão de “Dangerous”, em 1992, revelou ainda que o cantor odiava o seu pai, e que Joe Jackson, já falecido, reconhecia ter recorrido a métodos violentos para ensinar o filho a dançar mais rápido.

“Quando o Michael tinha quatro anos, ele punha-o a dançar em cima de um fogão ligado, descalço. E quando contava isso não parecia arrependido. Eu tinha muita pena do Michael. Ele odiava o pai”, garante ainda Rudi Dolezal, que acredita, porém, que “se a lenda do Michael Jackson for destruída por isto [as alegações de abuso sexual de crianças], a única pessoa responsável é ele”.

Segundo o Page Six, Rudi Dolezal, que também trabalhou com os Queen, está a escrever um livro sobre Freddie Mercury, intitulado “My Friend Freddie”.