Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

Getty Images

O death metal inspira alegria, não violência

"Os fãs de death metal são boas pessoas, não magoam ninguém", afirma o professor orientador de um novo estudo

Muito se escreveu já acerca do death metal e da sua propensão para as letras e música violentas, mas talvez esses relatos sejam manifestamente exagerados.

Um novo estudo realizado pela Universidade de Macquarie, na Austrália, focou-se no efeito emocional que é provocado pela música e concluiu que os fãs de death metal não ficam dessensibilizados em relação a imagens violentas.

À BBC, o professor Bill Thompson afirmou que "os fãs de death metal são boas pessoas, que não magoam ninguém".

O estudo incidiu sobre um grupo de 32 fãs de death metal e de 48 pessoas que não apreciam o género, procurando estudar a reação do seu subconsciente quando lhes eram mostradas imagens bastante gráficas, ao mesmo tempo que escutavam death metal e/ou música pop.

A conclusão a que os investigadores chegaram, é que os fãs de death metal reagem a essas imagens da mesma forma que quem nunca ouviu o género.

"Se os fãs de música violenta estivessem dessensibilizados para a violência, que é o que afirmam grupos de pais, religiosos ou de censura, os resultados não seriam estes", explicou Thompson.

"A resposta emocional dominante a este tipo de música é alegria e empoderamento. Ouvi-lo e transformá-lo neste tipo de experiências é algo fabuloso", concluiu.