Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

Como um avô de 72 anos aprendeu a fazer música trap sozinho

Os beats de Arthur Dubois já se tornaram virais

Arthur Dubois é um homem norte-americano que, aos 72 anos, descobriu a sua vocação: fazer música trap.

A carreira de Dubois começou há seis anos, quando se começou a interessar pela produção de hip-hop, após uma vida inteira enquanto melómano.

"Comecei a trabalhar nisso, mas não era muito bom", contou, à BuzzFeed News. Sobre o trap, subgénero do hip-hop, afirma que "não existia quando eu era novo" e que lhe "soava bem".

Após ter passado anos a trabalhar nas suas produções, Dubois ganhou finalmente coragem e levou-as a um estúdio em Chicago e a um produtor profissional, que inicialmente ficou de pé atrás.

"Disse-lhe que este era um estúdio para jovens, mas que podia apresentá-lo a algumas pessoas que conheço, que o poderiam ajudar", contou Add-2, o produtor em questão.

Tudo mudou, no entanto, quando o produtor escutou o trabalho de Dubois - deixando-o de queixo caído.

"Não conseguia acreditar, porque não esperava que ele fizesse este tipo de música, ainda por cima tão bem, e que a apreciasse. As pessoas mais velhas não costumam entender [o trap] como música", disse.

"Explicou-me que tinha ganho coragem para sair da sua zona de conforto, e perguntou-me se o podia ajudar com as misturas e a produzir-lhe os beats".

Dubois, que tem dois filhos e vários netos, admite que por vezes recorre à ajuda destes em relação às suas produções, pedindo alguns conselhos. Fora isso, é totalmente autodidata: leu alguns livros sobre produção e descarregou aplicações como o Pro Tools e o Mixcraft.

Add-2 ficou tão admirado que chamou, inclusive, ao estúdio outros músicos para verem Arthur Dubois em ação, filmando as suas reações - vídeos esses que, entretanto, já se tornaram virais, merecendo rasgados elogios por parte de fãs de trap, o que deixaram este "veterano" emocionado.

"Não estava à espera disso", afirmou. Já Add-2 diz que este encontro foi para si uma lição de vida: "Nunca é tarde para cumprirmos os nossos sonhos".

  • Morte, violência e estrelato. Quem tem medo do trap, o novo fenómeno do hip-hop?

    Notícias

    Aviões privados e venda de droga, Lamborghinis e crimes que dão posts no Instagram - aspetos que marcam uma cultura que tem dividido opiniões em todo o mundo. As vendas astronómicas viram o trap erguer algumas das mais vigorosas novas estrelas pop americanas, como Travis Scott, mas também alguns casos dramáticos, como o de Tekashi 6ix9ine. Explicamos como a música que armadilhou a América pode ser, com todas as suas contradições, o futuro da pop