Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

R. Kelly

Getty Images

R. Kelly chora e grita ao defender-se de acusações de abusos sexuais: “Estou a lutar pela minha vida”

O cantor mostrou-se alterado em entrevista televisiva com a apresentadora Gayle King, melhor amiga de Oprah

O cantor norte-americano R. Kelly, que foi formalmente acusado de abusos sexuais de mulheres (entre as quais, raparigas menores), mostrou-se alterado, chorando e gritando, durante uma entrevista televisiva à CBS. Questionado pela apresentadora Gayle King, melhor amiga de Oprah Winfrey, o cantor negou todas as acusações, pedindo às pessoas para acreditarem que está inocente, e disse estar a lutar pela sua vida.

Alguns dias depois de ser detido pela polícia, com base em 10 acusações, Kelly foi posto em liberdade depois de uma admiradora sua pagar uma fiança de 88 mil euros e acedeu agora a dar entrevista a King. No decorrer da conversa, explodiu quando a apresentadora o pressionou a responder a questões sobre alegadamente manter mulheres presas em casa contra a sua vontade.

O cantor começou por se defender, dizendo: "sento-me aqui e digo que tive dois casos no passado sobre os quais não me vou pronunciar devido ao caso que continua a decorrer, mas digo isto: as pessoas estão a ir ao meu passado e a tentar juntar tudo para que as acusações de agora sejam levadas a sério pelas pessoas". Depois de King dizer que o que se passou antes é relevante, Kelly reage dizendo que não porque venceu as acusações de que foi alvo no passado.

Confrontado com as acusações de mulheres que dizem ter mantido relações sexuais com ele quando eram menores e de terem sofrido abusos emocionais, físicos e verbais, Kelly responde: "não é verdade. Sejam rumores antigos, novos ou futuros, não são verdadeiros". Quando questionado sobre o facto de manter mulheres contra a sua vontade: "não preciso disso. Por que razão faria isso? Quão estúpido seria o R. Kelly, depois de passar por tudo o que passei no passado, para prender pessoas contra a sua vontade?".

"Isso é estúpido!", continua, olhando diretamente para a câmara, "usem o vosso senso comum. Esqueçam estes enredos, esqueçam aquilo que sentem por mim, detestem-me ou amem-me se quiserem, mas usem o vosso senso comum. Quão estúpido seria eu, com o meu passado louco, com tudo aquilo que passei, pensar agora que precisava de ser um monstro e prender raparigas contra a vontade delas, mantê-las na minha cave e não as deixar comer ou sair, a não ser que precisem de uns sapatos que estão no final da rua. Parem. Deixe-se de brincadeiras. Eu não fiz nada disto. Isto não sou eu. Estou a lutar pela vida". Veja o vídeo abaixo e também as fotografias que King partilhou da entrevista.