Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

“Era uma pessoa muito amável... mas abusou sexualmente de mim”. Alegadas vítimas de Michael Jackson falam no trailer de “Leaving Neverland”

Documentário da HBO é baseado nas declarações de dois homens que acusam o rei da pop de abusos sexuais

O trailer do documentário "Leaving Neverland", baseado nos testemunhos de dois homens que dizem ter sido abusados sexualmente por Michael Jackson quando eram menores, chegou finalmente à internet. "Ele era uma das pessoas mais amáveis que já conheci... mas também abusou sexualmente de mim quando eu tinha sete anos", diz Wade Robson, uma das alegadas vítimas, antes de completar: "todas as noites em que estava com ele era abusado".

Apesar das contestações e ameaças legais da família de Jackson, que nega veementemente as alegações, o canal de televisão HBO vai exibir o documentário de quatro horas, dividido em duas partes, que estreou recentemente no festival de cinema de Sundance, nos Estados Unidos. Além de Robson, também James Safechuck acusa o músico, falecido em 2009, de o ter molestado.

"Este não é um filme sobre Michael Jackson nem um filme sobre Michael Jackson a abusar de rapazes pequenos", defende Dan Reed, realizador britânico que já tinha sido responsável pelos filmes "The Paedophile Hunter" e "Three Days of Terror: The Charlie Hebdo Attacks", em entrevista à revista Variety, "é um filme sobre duas famílias e sobre a forma como essas famílias continuam a lidar com as revelações que os seus filhos lhes fizeram muitos anos depois de Jackson morrer". O cineasta defende-se assim das críticas da família do artista, que diz não ter sido contactada durante a produção de "Leaving Neverland".