Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

"Leaving Neverland" estreou no festival de cinema de Sundance, nos Estados Unidos

Getty Images

Família de Michael Jackson diz que novo documentário é “linchamento público”: “Ele não está cá para se defender”

O novo documentário, “Leaving Neverland”, ressuscita acusações de pedofilia

A família de Michael Jackson reagiu de forma enfurecida à exibição do novo documentário "Leaving Neverland" no festival de Sundance, nos Estados Unidos, na passada sexta-feira. Num comunicado divulgado hoje, pode ler-se: "não podemos ficar a ver enquanto este linchamento público decorre (...) estas alegações só foram feitas porque o Michael não está aqui para se defender".

O documentário de quatro horas, dividido em duas partes, baseia-se nas declarações de dois homens que dizem ter sido abusados e violados pelo "rei da pop" quando eram crianças. No comunicado, a família Jackson recorda que ambos os acusadores, Wade Robson e James Safechuck, negaram terem sido molestados pelo artista durante o julgamento de 2005 que inocentou Jackson das acusações de Gavin Arvizo, rapaz de 13 anos que alegava ter sido molestado. Em 2013, os dois homens terão apresentado queixas em tribunal mas ambas foram rejeitadas.

"O Michael Jackson é nosso irmão e filho", começa por escrever a família no comunicado, antes de atacar os media que deram destaque ao documentário: "estamos furiosos com os meios de comunicação que, sem quaisquer provas, escolheram acreditar na palavra de dois mentirosos confessos em vez de na palavra de centenas de familiares e amigos em todo o mundo que passaram tempo com o Michael, muitos em Neverland, e testemunharam a sua amabilidade lendária e a sua enorme generosidade".

No final da mensagem, depois de defenderem que o cantor era "um alvo fácil porque era único", acrescentam ainda: "os criadores deste filme não estavam interessados na verdade. Não entrevistaram nenhum conhecido do Michael além dos dois mentirosos e as suas famílias. Isso não é jornalismo e não é justo, mas os media continuam a perpetuar essas histórias. A verdade está do nosso lado. Vão fazer a vossa pesquisa sobre esses oportunistas. Os factos não mentem, as pessoas sim. O Michael Jackson estava e vai estar sempre 100% inocente no que diz respeito a essas falsas alegações".