Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

Maroon 5

Encurralados pela opinião pública, os Maroon 5 não conseguem encontrar convidados para o concerto no intervalo do Super Bowl

Já vários artistas se recusaram a atuar no tradicional espetáculo de intervalo

A próxima final do campeonato de futebol norte-americano, popularmente conhecida como Super Bowl, poderá vir a ter um dos espetáculos de intervalo mais pobres de sempre.

Isto porque os Maroon 5, escolhidos para atuar no intervalo do jogo que terá lugar no Mercedes-Benz Stadium, em Atlanta, não conseguem "recrutar" mais nenhum artista para partilhar palco consigo.

Em causa está a reação da NFL (a Liga Profissional de Futebol Americano) aos protestos de Colin Kaepernick, jogador que se ajoelhou por diversas vezes durante a interpretação habitual do hino dos Estados Unidos, antes de cada partida, na época de 2016.

Segundo o jornal US Weekly, nenhum dos artistas sondados pelos Maroon 5 "se quer associar à NFL" - sendo que, antes da banda de Adam Levine (que ainda não confirmou oficialmente a sua presença), já muitos outros se tinham recusado a atuar no espetáculo de intervalo, como Rihanna e Jay-Z.

Chegou a falar-se que a rapper Cardi B se iria eventualmente juntar aos Maroon 5, mas uma fonte próxima do evento disse ao US Weekly que tal não é verdade. "Para já, a resposta dela é não", confiou a mesma fonte.

Uma petição online que visa levar os Maroon 5 a cancelar a sua atuação, à luz do "caso Kaepernick", já conta com mais de 72 mil assinaturas. Ao longo da sua história, a Super Bowl já acolheu espetáculos de nomes como Prince, Justin Timberlake e Coldplay, entre outros.