Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

Kanye West

Depois de dizer que a escravatura foi “uma escolha”, Kanye West explica-se: “Não vou deixar que me cortem a língua”

A entrevista de Kanye West ao TMZ continua a dar que falar

Lia Pereira

Lia Pereira

Jornalista

Depois de, em entrevista ao TMZ, fazer várias declarações polémicas, Kanye West decidiu usar o Twitter para esclarecer as tiradas sobre a escravatura.

Naquela entrevista, Kanye West disse: “sou um membro da comunidade negra, mas não só. Vou sempre representá-la, mas também represento o mundo”.

“Quando ouvimos que a escravatura durou 400 anos... 400 anos? Parece-me que foi uma escolha. Estamos numa prisão mental”, acredita o rapper.

Estas declarações têm sido amplamente criticadas, reação que levou Kanye West a publicar uma data de tweets onde explica o seu raciocínio.

“Claro que sei que os escravos não foram postos nos navios de livre vontade. O que quis dizer é que, se ficámos nessa posição, embora os números estivessem do nosso lado, é porque estávamos numa prisão mental”.

“Cortaram-nos a língua para não podermos comunicar uns com os outros. Não vou deixar que me cortem a língua... Enforcaram os mais poderosos para amedrontar os os outros. Já não podem calar a nossa voz”.

Kanye West acredita ainda que é necessário “atualizar o debate” sobre o racismo.

“Só falei dos 400 anos porque não podemos ficar numa prisão mental mais 400 anos. Precisamos de pensamento livre, agora”, defende o norte-americano, lamentando estar a ser “atacado por apresentar novas ideias”.