Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

Fats Domino

Morreu Fats Domino, lenda do rock and roll

O artista norte-americano vendeu, na sua longa carreira, mais de 65 milhões de discos

Morreu Fats Domino, pioneiro do rock and roll e inspiração assumida por Elvis Presley, Beatles e Rolling Stones. O cantor e pianista norte-americano contava 89 anos e a sua morte foi comunicada pela filha.

Fats Domino nasceu em Nova Orleães, no estado norte-americano da Louisiana, a 26 de fevereiro de 1928. Era o mais novo de oito irmãos.

Na adolescência, trabalhou numa fábrica, mas desde bem cedo que o seu talento no piano foi notado. A carreira musical afigurar-se-ia inevitável a partir de 1949, quando se juntou ao trompetista Dave Bartholomew, que lhe produziu e co-escreveu o primeiro disco, "The Fat Man" - venderia mais de um milhão de cópias, chegando à segunda posição do top americano de rhythm & blues.

Seguir-se-ia um percurso longo coroado em 1986 com um Grammy de Carreira (e, mais tarde, com a incorporação no Rock and Roll Hall of Fame). Entre os seus maiores êxitos contam-se "Blueberry Hill", "Ain't That a Shame" e "I'm Walking to New Orleans". O seu estilo musical baseou-se sempre no rhythm and blues tradicional, em combos que incluíam - além do seu piano - saxofones, baixo, guitarra elétrica e bateria.

Com uma carreira que atravessou cinco décadas, Fats Domino acumulou vendas de discos superiores a 65 milhões de unidades, sendo que 25 das suas canções chegaram ao galardão de Disco de Ouro. Em 1975, John Lennon incluiu "Ain't That a Shame" no seu álbum de 1975, Rock'n'Roll, e a sua influência estendeu-se mesmo ao punk e ao reggae.

Em 1998, o então Presidente dos EUA Bill Clinton condecorou-o com a Medalha Nacional das Artes numa cerimónia que teve lugar na Casa Branca. A revista Rolling Stone considerou-o o 25º maior artista de todos os tempos.

Empenhado nas causas humanitárias da sua cidade natal, Domino veio a público apoiar ações de apoio às vítimas do furacão Katrina, em 2005, apesar de ter perdido todos os seus pertences nas cheias dele decorrentes.