Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Listas

Tem algum destes tesouros em casa? 12 discos raros feitos em Portugal, dos Queen aos Rolling Stones

Caixas misteriosas arrumadas na garagem dos pais ou avós? Um tio com uma coleção de discos a que chama tralha? Nem todos os tesouros estão dentro de arcas a repousar há séculos no fundo do mar. Alguns podem mesmo estar à mão de semear, já que foram impressos e editados em vinil em Portugal. Apresentamos-lhe 12 bons negócios

Se tem espírito de caçador de tesouros e uma daquelas famílias extensas que nos jantares de Natal vos levavam a cruzar-se com tios que costumavam dizer coisas como ”que engraçado, no meu tempo as festas eram com discos de vinil, ainda tenho para lá alguns dentro de uma caixa guardada no sótão”, talvez esteja na hora de fazerem um telefonema. Sugerimos algo como “olá tio, encontra-se bem? Óptimo. Olhe, lembra-se de no último Natal me ter dito que tinha para aí uma caixa com tralha?”.

O sui generis mercado discográfico português levou a que alguns dos discos por cá impressos e lançados sejam hoje desejadas peças de colecção: capas únicas, por um lado, e, por outro, números limitados nas prensagens originais – éramos, afinal de contas, um mercado microscópico se comparado com o americano ou com os dos principais territórios europeus – concorreram para que esses discos, naturalmente raros, fossem ao longo dos anos sendo valorizados. Ao contrário do que muita gente pensa, um disco só por ser antigo e de uma banda ou artista famosos não vale automaticamente muito dinheiro. Mas alguns atingem, de facto, valores que poderiam traduzir-se, se bem vendidos, na renda de casa de um par de meses, no orçamento das próximas férias ou naquela mobília nova para a sala que há tanto tempo se anda a cobiçar.

Por isso mesmo, se por acaso encontrar um destes discos dentro da caixa de sapatos que o vosso tio atirou para o sótão, os nossos parabéns! Não está rico, mas talvez tenha pela frente um mês mais folgado!

1. Elton John – I’ve Been Loving You / Here’s To The Next Time

Este single foi editado em 1968 pela Philips, etiqueta da PolyGram, hoje Universal. E é um EP com quatro faixas (além das duas principais do lado A, conta ainda, no lado inverso, com “Angel Tree” e “Thank You For All Your Loving”. Este disco com capa exclusiva para o mercado português chegou já a ser vendido por cerca de 3 mil 350 euros e a cópia actualmente disponível no Discogs está marcada a 1950 euros, mas não está em muito bom estado pelo que se o vosso tio era daqueles que cuidava bem dos discos, talvez possa mesmo encomendar aquela bicicleta de montanha tão especial com que há tanto tempo sonhava. E não desespere se por acaso encontrou o disco sem capa. É que a versão promocional com capa genérica poderá ser ainda mais valiosa: em 2007 um exemplar foi vendido no eBay por cerca de 7 mil dólares!

2. David Bowie – Space Oddity

Lançado em 1969 pela Philips, a versão portuguesa deste single, também com singular capa e com “Wild Eyed Boy From Freecloud” no lado B, já se vendeu por perto de 3000 euros e o ano passado chegou à famosa lista “The Most Expensive Records Sold On Discogs” no mês de Junho ao ser transacionada por 2500 euros. Por isso mesmo, acalme-se: se tem um exemplar deste single nas mãos neste momento ou se se recorda de ouvir o seu tio dizer “ainda tenho este single” quando o tema surgiu no meio da tal playlist de Spotify que meteu a tocar no último jantar de família, os nossos parabéns. Já se pode atirar ao novo laptop.

3. Queen – Keep Yourself Alive

Por alguma razão, o primeiro álbum dos Queen, lançado em 1973, cujo alinhamento tem, logo a abrir, este “Keep Yourself Alive”, não foi editado em Portugal, mas o single foi lançado com selo EMI pela Valentim de Carvalho, merecendo capa especial para consumo local. Esse disco já mudou de dono por bem mais de mil euros, há uma venda registada no Discogs por 900 euros e a cópia actualmente disponível está marcada a 1890 euros. Encontrar um exemplar pode por isso mesmo significar que as obras na casa de banho há tanto tempo pensadas podem finalmente avançar.

4. The Tony Jackson Group – Just Like Me

Depois de sair dos Searchers, grupo com que gravou, por exemplo, o hit “Sweets For My Sweet”, Tony Jackson formou o seu próprio grupo com que editou, em 1969, este ep que em Portugal levou carimbo da etiqueta Estúdio. No alinhamento do ep há espaço para versões de “Shake” de Sam Cooke e de “He Was a Friend of Mine” de Bob Dylan. Este ep português já chegou a trocar de mãos por mais de 2500 euros e neste momento não há nenhuma cópia disponível para venda no Discogs, pelo que pode ser o seu dia de sorte se por acaso encontrou um exemplar.

5. The Who – Dogs

Editado com selo da Polydor local, este EP de 1968 incluía os temas “Dogs”, “Silas Stingy”, “Call Me Lightning” e “Dr. Jekyll & Mr. Hyde” e, tratando-se de prensagem nacional, voltava a ter capa singular, um dos factores de valorização destas peças. Este EP já foi vendido por cerca de mil euros e a cópia presentemente oferecida para venda no Discogs está valorizada por 1455 euros. Se apanhar uma cópia guardada há meio século num recanto qualquer da casa de um familiar, pode dar saltos à vontade porque a alegria é justificada.

6. Johnny Hallyday – Noir C’Est Noir

Lançado na Philips portuguesa, este EP colocava lado Johnny Halliday e os Blackburds (assim mesmo...) e tinha na dianteira do seu alinhamento a versão da estrela francesa para o tema “Black is Black” dos espanhóis Los Bravos, um clássico obrigatório no reportório de todos os grupos de baile. A versão de Johnny Hallyday instalou-se durante semanas no lugar cimeiro do Top francês, mas em Portugal o disco circulou em números suficientemente baixos que justificam que décadas depois alguém tenha chegado a dar mais de 1500 euros por ele. No Discogs trocou de mãos há um par de anos por 600 euros, mas o exemplar não estava em perfeitas condições. Se encontrar um em bom estado, pode ir jantar ao restaurante com estrela Michelin que sempre quis experimentar. Bom proveito!

7. Queen – Killer Queen

Lançado com selo EMI pela Valentim de Carvalho em 1974, o tema extraído do álbum Sheer Heart Attack é um verdadeiro clássico do cancioneiro da banda de Freddie Mercury. A singular capa portuguesa já convenceu colecionadores a pagarem mais de 1500 euros por ele e a cópia em melhores condições de conservação actualmente disponível no Discogs está marcada a 895 euros. Se calhar já dá para pagar a renda do próximo mês...

8. New York Dolls – Jet Boy

Só há, Segundo o Discogs, três prensagens deste single dos New York Dolls: a britânica, a holandesa e a portuguesa. E de todas aquela que teve edição nacional com selo Mercury através da antiga PolyGram, por voltas de 1973, é a que se encontra mais valorizada. Já se vendeu por 220 euros na plataforma Discogs e a cópia actualmente disponível no mesmo site poderá render ao seu vendedor italiano 800 euros, se aparecer alguém a chegar-se à frente. Quem sabe não lhe calha idêntica sorte?

9. The Rolling Stones – Got Live If You Want It

Há exemplares em bom estado da versão inglesa deste EP à venda no Discogs por menos de 10 euros, mas a prensagem portuguesa, que difere num tema do alinhamento original, vale um pouco mais: já se vendeu há meia dúzia de anos no eBay por cerca de 800 euros e a cópia de um vendedor francês disponível no Discogs bate nos 300 euros, mesmo estando em mau estado. Quem sabe não se dá de caras com um exemplar e o troca por uma daquelas consolas com que sonha há tanto tempo?

10. Kiss – Kissin’ Time

Reza a lenda que a versão dos Kiss para “Kissin’ Time”, tema original de Bobby Rydell, foi gravada para tentar dar tracção comercial ao seu álbum de estreia, lançado no arranque de 1974. O single, disponibilizado em Portugal com capa única, tornar-se-ia uma muito procurada peça de colecção para os ávidos fãs da banda de Nova Iorque. Este disco ainda há um par de anos se vendeu no eBay por cerca de 500 euros. Não há nenhum exemplar para venda no Discogs de momento, pelo que encontrar um poderá ser motivo para andar feliz por uns tempos.

11. Sex Pistols – Silly Thing

Single lançado para promover The Great Rock ‘n’ Roll Swindle, o filme de Julien Temple com os Sex Pistols, “Silly Thing” mereceu capa distinta em Portugal, alinhamento com lado B diferente, “Anarchy in the UK”, e prensagem com etiqueta azul ou, noutra versão, verde e vermelha. A versão com etiqueta azul parece ser a mais desejada. O disco já chegou a ser vendido por cerca de 500 euros e a cópia em melhor estado disponível neste momento no Discogs vale 345 euros. Bem bom!

12. Beatles – Here, There and Everywhere

Já bateu na marca dos 300 euros no Discogs e a cópia em melhor estado (e ainda assim longe de estar famosa) actualmente disponível na mesma plataforma ainda está marcada a 250 euros. Encontrar uma boa cópia deste EP de 1966, com capa distinta da de outras prensagens doutros países, pode por isso render uns bons trocos e dar-lhe a verba suficiente para aquela prenda especial que está a pensar oferecer a alguém igualmente especial. Vale a pena espreitar dentro da caixa que o tio guardou no armário...